Tipografia é emoção: como escolher a tipografia ideal para sua identidade visual

tipografia

A identidade visual é um dos principais elementos do branding de uma marca. Um de seus principais elementos é o logotipo e conseguimos criá-lo de diversas maneiras. Assim, usando linhas, formas e cores, chegamos a uma representação da marca. Além desses, utilizamos também a tipografia para criar logotipos. Fazemos isso de duas formas. A primeira, compondo o logotipo juntamente com o gráfico, como o do Burger King ou da Puma. Na outra forma, a tipografia serve como base para toda a arte, como os logotipos da Johnson & Johnson ou da Coca-cola.

O objetivo de uma identidade visual é fazer com que a marca crie uma conexão com o consumidor. Seguindo esse raciocínio, pensar em todas as partes que compõem sua identidade visual, inclusive o seu logotipo, é importantíssimo. Isso vale para tudo: cores, formas e também a tipografia.

Por exemplo, você já viu alguma marca de brinquedo usando uma fonte de inspiração gótica? Não, né? Isso porque uma fonte tão rebuscada e tão forte não tem nada a ver com o universo lúdico que os brinquedos remetem. Ou seja, não conversa com o público alvo, não desperta emoção em quem deveria.

Mas qual a melhor fonte pra minha marca?

Características dos tipos: o que observar quando escolher a melhor tipografia para sua identidade visual

A tipografia pode ser incrivelmente variada, ainda mais após a popularização da internet. Há muitas opções disponíveis, entre as mais clássicas e as criadas recentemente. Com essa grande variedade de fontes, a escolha pela melhor fonte para seu logotipo pode ser um desafio. Mas saber diferenciar uma fonte sem serifa de uma com serifa, por exemplo, facilita as coisas. Confira as principais características dos tipos.

Com ou sem serifa?

A Martina Flor, designer argentina especializada em Lettering, fala em seu livro “Os Segredos de Ouro do Lettering” que

Quando trabalhamos com letras, precisamos nos expressar em uma linguagem específica, usando terminologia específica. Nós não falamos de “pezinhos das letras”, por exemplo, mas sim de “serifas”…

No entanto (e mil desculpas, Martina!), não encontrei forma melhor para descrever uma serifa do que essa forma “errada”. Reparem só:

Na imagem, a fonte da direita apresenta serifas nas terminações das letras. As fontes serifadas são mais comuns em publicações como livros e artigos de revistas. Isso acontece, porque as serifas oferecem mais legibilidade a quantidades maiores de texto. O motivo é que elas formam uma linha que guia o olhar com mais facilidade. Além disso, a literatura utiliza letras serifadas há muito tempo. Por isso, elas trazem um ar mais clássico ao logotipo.

Já as fontes sem serifa, falando o óbvio, não possuem as terminações. São consideradas mais modernas e são mais recomendadas para uso na web.

Fontes Display

As fontes display, também conhecidas por fantasia ou decorativas, surgiram a partir da necessidade de comunicação em superfícies maiores, como em cartazes e outdoors. Seu objetivo era captar a atenção do público. Por isso, são pesadas e fortes. Assim, não recomendamos o seu uso para grandes blocos de texto.

Fontes Script

Se você já viu um convite de casamento, provavelmente viu um estilo de fonte script. São fontes cheias de curvas e floreios, que trazem sofisticação e formalidade. Mas tome bastante cuidado com esse tipo de fonte. A primeira razão para isso é que fontes script são impraticáveis em textos mais longos. Imagine só ler um texto de 50 palavras na fonte abaixo:

Upload Image...

É dor de cabeça na certa.

O segundo motivo (e o mais importante aqui) é que, dependendo do formato de tela em que o logotipo aparecerá, ficará distorcido ou ilegível. Portanto, todo cuidado é pouco ao escolher letras Script.

Como escolher a melhor tipografia para sua identidade visual

Pratique a observação

A primeira dica é fundamental: observe. Estamos cheios de exemplos de tipografia ao nosso redor. Veja os tipos de letras, os detalhes, se parece feita a mão ou não. Conheça as variações e pesquise diferentes tipos de fonte. Crie um repertório, procure referências em redes sociais, como Instagram e Pinterest. Esse exercício te renderá alguns insights sobre a tipografia que combinará com seu logotipo.

Pense no todo

A segunda dica é: leve todos os elementos da sua identidade visual em consideração. Veja se a fonte que você escolheu combina com o gráfico utilizado ou se ela destoa do restante da composição.

Atenção ao uso do logotipo na web

Em seu livro “Curso de Design Gráfico”, os autores David Dabner, Sandra Stewart e Abbie Vickress dão algumas dicas de como escolher a melhor fonte para o seu projeto. Para o nosso objetivo aqui, a dica mais valiosa é: nem todas as fontes são adequadas para o uso na web. Algumas podem se tornar distorcidas ou ilegíveis dependendo da tela em que são exibidas. Portanto, pesquise a compatibilidade da fonte antes de bater o martelo.

Não se esqueça da sua marca

Por último (mas não menos importante): não se esqueça da sua marca, do que ela representa e como você quer que ela seja vista. Pense em toda a energia da sua marca e como ela se posiciona no mercado. Isso vai te ajudar na hora de selecionar fontes coerentes e expressivas, que vão agregar à sua identidade visual.

Quer escolher a tipografia ideal para a sua marca?

Os profissionais da Brave podem te ajudar. Fale conosco!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Usamos cookies para garantir uma melhor experiência de navegação no nosso site.