A empatia como base de um Marketing mais Humanizado

empatia_marketing_mais_humanizado

Liliane Ferrari, professora e especialista em Marketing, participou do RD Summit 2019 e falou sobre Marketing Humanizado, lembrando a todos de que os nossos compradores são seres humanos como nós.

Na matéria escrita por Mônica Custódio e publicada no blog da empresa Resultados Digitais, podemos acompanhar o que Liliane Ferrari, professora e especialista em Marketing, falou sobre Marketing Humanizado no evento RD Summit 2019. 

Liliane diz que “é muito louco” falarmos em voltar a humanização, uma vez que todos somos humanos.  Sugere que os seres humanos nascem para a barbárie e que a civilização é um exercício, acrescentando que no momento em que estamos vendo os números de nossas empresas, não podemos esquecer de que é uma pessoa que está no outro lado, comprando os nossos produtos.

A palestrante apresenta que os três pilares para um marketing são: emoção, empatia e ética.

Reforça que o marketing precisa acompanhar as gerações atuais, que estão bastante preocupadas em saber a procedência de seus produtos e de como eles são confeccionados.

Para isso é preciso “fazer ao próximo o marketing digital que gostaria que fizesse para você”.

Nós, aqui da Brave Design, concordamos com Liliane. É preciso olhar para a pessoa que está comprando o nosso produto e não para a venda que estamos fazendo.

A revista Forbes elencou a empatia como uma das soft skills mais requisitadas pelo mercado de trabalho e, como qualquer habilidade, a empatia pode ser desenvolvida por qualquer pessoa.

Mas como desenvolver a empatia?

Roman Krznaric, um dos maiores estudiosos da empatia, explanou no TEDxAthens, em 2013, sobre o déficit de empatia que a humanidade está sofrendo e propôs oito ideias para se desenvolver a empatia:

1ª) Treinar as próximas gerações, afinal de contas, a empatia pode ser ensinada e aprendida.

2ª) Desenvolver uma imaginação ambiciosa. Se focarmos com atenção plena nos sentimentos e necessidades do outro, isso aumenta a nossa preocupação moral com o outro, podendo motivar-nos a agir em sua defesa.

3ª) Despertar nossa curiosidade tendo conversas com mais significado com pessoas desconhecidas.

4ª) Precisamos aprender com a história, conhecendo sobre as dificuldades humanas e como a empatia pode mudar a paisagem social e política.

5ª) Criar aventuras experimentais que nos permitam não apenas conversar com as pessoas, mas experimentar algo de sua realidade.

6ª) Aprendermos a fazer uso da tecnologia. Apesar de as redes sociais hoje promoverem alguns lampejos de empatia, é preciso criar uma nova geração de rede social com foco na expansão das ligações empáticas.

7ª) Aprendermos a sermos líderes empáticos. Todos nós temos influência em algum âmbito de nossas vidas e podemos seguir os exemplos de alguns líderes empáticos como Ganghi, Madre Teresa de Calcutá e Nelson Mandela.

8ª) Cultivar a “extrospecção”, conhecendo-nos a partir do olhar do outro e descobrir os seus mundos.

Essas dicas de como desenvolvermos a empatia certamente nos fará profissionais do marketing melhores e nos permitirá fazermos um marketing mais humanizado, como propôs Liliane Ferrari no RD Summit 2019.

Nós já compramos essa ideia. Quem quer embarcar conosco?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Usamos cookies para garantir uma melhor experiência de navegação no nosso site.